COMUNICADO IMPORTANTE

É com grande satisfação que comunicamos que a Regenera Medicina Veterinária Avançada, conseguiu um marco histórico ao obter a APROVAÇÃO DO PRIMEIRO REGISTRO DE PRODUTO BRASILEIRO A BASE DE CÉLULAS-TRONCO MESENQUIMAIS NA MEDICINA VETERINÁRIA.

O produto CaniStem está aprovado para tratar as doenças: Osteoartrose, Ceratoconjuntivite Seca e Sequela Neurológica de Cinomose.

Como é de conhecimento de todos, a Regenera Medicina Veterinária Avançada vem por anos buscando junto ao Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA), a normatização da utilização da terapia com Células-Tronco na Medicina Veterinária. Foram anos de dedicação que hoje podem ser traduzidos em uma nova era para o exercício da Medicina Veterinária Regenerativa.

Agradecemos a todos que contribuíram pra este grande feito!

CONTATO

Onde nos encontrar:

Rua Baguaçu, 26 – Alphaville Empresarial
Edifício Business Center II – Sala 101
Campinas, São Paulo, Brasil

SIGA-NOS

INSCREVA-SE AGORA

Telefones:
+55 (19) 3262-2002 / 3327-2392

+11 (19) 98355-5003 

© 2020 by Regenera Stem Cells All Right Reserved

Transplante pode ajudar pacientes com doença de Crohn

Em 2014, uma cirurgia inédita no Brasil foi realizada por médicos de São José do Rio Preto (SP) em uma paciente com a doença de Crohn. Um transplante com células-tronco foi realizado com sucesso, mas agora a técnica teve um novo avanço e quem tem a doença e precisa da bolsa de colostomia poderá, por meio da nova técnica, se submeter ao procedimento.

A esperança é a maior aliada da dona de casa Kedney Guimarães que há sete anos descobriu que tem a doença de Crohn. Por causa das complicações da doença, a dona de casa passou por uma cirurgia e retirou parte do intestino. Atualmente ela vive com a bolsa de colostomia e sabe muito bem as consequências de todo esse processo. “A gente fica um pouco sem qualdiade de vida e sem dignidade, a gente fica isolada, deixa de ir aos lugares, de trabalhar por causa da doença, o sofrimento é grande”, afirma.

Os especialistas explicam que a doença de Crohn é uma inflamação que atinge o intestino e segundo os especialistas demora para ser diagnosticada. “Começa com uma cólica, diarréia, febre baixa, anemia, sangramento nas fezes e o paciente demora para ter um diagnóstico da doença, em média leva um ano”, afirma o proctologista Kaiser Júnior.

Desde 2014, começou a ser feita em Rio Preto uma cirurgia que usa células-tronco para combater a doença de Crohn. As células-tronco conseguem produzir anticorpos que não atacam o intestino. Os resultados positivos com a nova técnica já beneficiaram 14 pacientes em várias partes do Brasil. “Hoje em dia vimos que os pacientes saem da cirurgia sem a necessidade de uso de medicamentos, melhora a cólica, a pessoa volta a uma vida normal”, afirma o médico.

A boa notícia para quem tem a doença de Crohn é que esse mesmo procedimento pode ser feito agora em pacientes que usam a bolsa de colostomia.  A cirurgia inédita foi feita em Rio Preto no ano passado com resultados que surpreendem. “A gente não fazia para pacientes que tinham a bolsa por causa da contaminação e estragar o transplante. Agora fizemos uma adaptação e ela pode ser feita”, afirma.

Elaine Ferreira Jaculi, de 40 anos, passou por essa cirurgia inovadora. Ela que veio de Uberlândia (MG) pesquisou sobre a nova técnica e resolveu se submeter ao procedimento. Há 15 anos ela sofre com os efeitos da doença e depois de uma cirurgia precisou usar a bolsa de colostomia. “Me sinto privilegiada e peço que as pessoas criem força para fazer a cirurgia porque o procedimento melhorou muito”, afirma.

Por enquanto, o transplante de células-tronco para pacientes com doença de Crohn que usam bolsa de colostomia não é pago pelo SUS, Sistema Único de Saúde, e nem pelos convênios particulares. A cirurgia é reconhecida pela Sociedade Brasileira de Coloproctologia, mas quem tiver interesse, precisa entrar na Justiça, ou pagar um médico particular.

Fonte: Portal G1 http://g1.globo.com/sao-paulo/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/2016/01/transplante-de-celulas-tronco-ajuda-pacientes-com-doenca-de-crohn.html