Tipos de transplantes

São basicamente dois tipos de transplantes de células tronco: o Autólogo e o Alogênico (ou Heterólogo). A seguir serão expostas as vantagens e desvantagens de cada uma delas. Abaixo podemos observar as vantagens do transplante alogênico:

transplante de células tronco alogênico

 

Vantagens do transplante alogênico

células tronco controle de qualidade CTM x Idade: As células tronco presentes nos tecidos do organismo tendem a diminuir constantemente com o passar da idade e sendo assim, animais mais velhos que necessitem da terapia com células tronco encontrariam uma dificuldade na obtenção destas células de maneira autóloga. O banco de células da Regenera trabalha somente com doadores jovens e sadios que proporcionam CTM com alto potencial proliferativo e de diferenciação.

células tronco controle de qualidade Condição cirúrgica/anestésica: Há também o problema da condição cirúrgica/anestésica do paciente. Para o transplante autólogo seria necessário anestesiar o paciente para retirada do fragmento de tecido adiposo e muitos deles, por alguma patologia, ou mesmo pela idade não podem se submeter a este tipo de procedimento.

células tronco controle de qualidade Disponibilidade imediata do transplante: Para transplante autólogo seria necessário, após obtenção do fragmento de tecido adiposo, aproximadamente 4-7 semanas para que as CTM fossem obtidas, cultivadas e expandidas em quantidade suficiente para a terapia celular. Já o transplante heterólogo tem disponibilidade imediata através do nosso banco de CTM.

células tronco controle de qualidade Disponibilidade imediata do material: No transplante autólogo é necessário realizar o cultivo do material em laboratório, o que leva em torno de 4 semanas. Já no alogênico, utilizado pela Regenera, já existe um banco de células tronco, obtidas a partir de doadores saudáveis, favorecendo o implante imediato.

células tronco controle de qualidade Não há rejeição: As CTM não apresentam em sua superfície moléculas do complexo de histocompatibilidade do tipo II (MHC classe II) e por este motivo são consideradas imunocompatíveis, não causando qualquer tipo de rejeição ou efeito colateral quando injetadas em outro organismo.

 

células tronco tempo
células tronco MHC I compatibilidade